Arlete Salles e Miguel Falabella participam do “Conversa com Bial” e fala da série “Eu, a vó e a Boi”

Arlete Salles e Miguel Falabella participam do “Conversa com Bial” e fala da série “Eu, a vó e a Boi”

4 de dezembro de 2019 0 Por Clayton Lima

Arlete Salles e Miguel Falabella comentam sobre parceria e a nova série ‘Eu, a Vó e a Boi’ no ‘Conversa com Bial’

Há quem diga que a essência da comédia está nas pausas da fala: entre os silêncios e o tom de voz de cada personagem cômico, as risadas são despertadas no telespectador. Para entender o tempo do humor, o Conversa com Bial recebeu nesta terça-feira, 3/12, Arlete Salles e Miguel Falabella. Juntos, eles apresentam ao público a nova série do Globoplay, ‘Eu, a Vó e a Boi’, história baseada em uma thread do Twitter que conta o drama de duas vizinhas que se odeiam.

Miguel Falabella relembra ‘Sai de Baixo e ‘Toma Lá da Cá’ — Foto: Reprodução/TV Globo

Criada e escrita por Miguel, a série é definida por ele como um “humor apocalíptico” que coloca duas mulheres em um contexto polarizado e perturbado.

“Serve pra gente ‘fotografar’ um pouco o país que estamos vivendo. Tudo é na bala, tudo se resolve no grito.”

Na trama, Vera Holtz interpreta Yolanda Arlete a personagem Turandot. A pernambucana, que tem diversas parcerias com Falabella, é considerada por ele uma musa inspiradora. Antes do sucesso do ator, Miguel admirava Arlete em posteres e radionovelas.

“Eu era apaixonado pela Arlete. E eu tinha um pôster que era a Arlete de franjinha, barriga de fora, uma blusa, uma calça de franja… Eram as gatas da época.”

Nenhum deles imaginou que, anos depois, Miguel ajudaria Arlete a sair de um momento de frustração emocional causado pela estabilidade na carreira. Enquanto ela queria reanimar sua vida, Miguel prometeu escrever uma peça que mudaria seu curso na carreira. ‘A Partilha’ foi um sucesso que marcou a caminhada dos dois.

Arlete Salles e Miguel Falabella relembra parcerias — Foto: Reprodução/TV Globo

Arlete Salles e Miguel Falabella relembra parcerias — Foto: Reprodução/TV Globo

A dupla que se formou a partir do episódio rende frutos até hoje. Depois de ‘Sai de Baixo’ e ‘Toma lá da cá’, a admiração mútua ajuda a construir mais personagens memoráveis.

“Ele adora esses personagens loucos porque talvez Miguel ache que só os loucos sentem o sabor da vida.”

Não é à toa que Miguel é o autor preferido de Arlete. Ele explica a Bial que, para a construção de um roteiro, faz as cenas enquanto escreve. Depois de ler e reler várias vezes, recita em voz alta no papel de todos os personagens até estar da maneira que imagina. “Por isso eu fico danado quando eu vejo que não foi feito como eu escutei”, explica, sobre seu trabalho como diretor. E Arlete confirma que ele sabe ser durão!

Salles, que no programa conta várias situações de bastidores engraçadas ao lado de Falabella, compartilha sua admiração pelo amigo em momentos de emoção.

“Não é porque ele é meu amigo e está aqui, mas ele é com muita justiça considerado um dos grandes comediógrafos do Brasil. O texto é impecável.”

Miguel revela que o segredo de sua escrita e o verdadeiro caminho da comédia, é a dor. “Você faz comédia com raiva, você faz comédia com dor.” E foi dessa maneira subjetiva e intensa que Falabella despertou ainda mais o amor de Arlete pelo gênero e a dramaturgia.

Para Bial, a atriz relembra sua infância de garota tímida, cheia de sonhos. “Me escondia pra sonhar com momentos felizes, roupas bonitas, lugares bonitos e ouvia aquelas pessoas no rádio sendo amadas.” Em uma dessas tardes, a pernambucana ouviu um anúncio para testes. Foi escondida, não passou por conta da falta de experiência, mas conseguiu um emprego em outra área do radialismo por conta da beleza de sua voz.

Arlete fala sobre começo de carreira. — Foto: Reprodução/TV Globo

Arlete fala sobre começo de carreira. — Foto: Reprodução/TV Globo

Sua experiência em radionovelas é clara no jeito que se expressa e dita os ritmos das palavras que faz o público cair na risada. Para Falabella, essa é a característica que mais o fascina.

“Essa mulher dentro de mim que eu amei garoto, que amo até hoje e que vou amar… Nós vamos ficar juntos por aí.”