Campeonato Brasileiro

Fluminense produz pouco e só empata com o Ceará no Maracanã

Volta de Fred e Nenê não resulta em time criativo. Resultado deixa a equipe em sexto no Brasileiro

ES Rio de Janeiro (RJ) 17 / 10 / 2020 – Campeonato Brasileiro 2020. 17ª RODADA. Fluminense X Ceará. – FRED. Local : Arena Maracanã. Foto Marcelo Theobald / Agência O Globo. Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo

Mesmo com a volta de seus dois principais jogadores, Fred e Nenê, o Fluminense não teve competência criativa e ofensiva para vencer o Ceará no Maracanã, neste sábado. O empate em 2 a 2, conquistado no fim, até teve participação decisiva do centroavante, em passe para Danilo Barcellos. Mas outra do zagueiro Digão, que falhou na saída de bola. No geral, o time todo não ajudou. O resultado evitou a subida ao G-4 pela primeira vez no Campeonato Brasileiro. A equipe caiu para a sexta posição na tabela, mas ampliou a sequência invicta para seis jogos. No próximo domingo, o adversário é o Santos.

O Fluminense começou o jogo aliando bem a experiência e a juventude de seus atacantes. A chave para isso foi a participação de Luis Henrique, 19 anos. O atacante iniciou aberto pela direita, mas cumpriu função tática defensiva importante, recompondo por dentro. Ainda no princípio do primeiro tempo, aos 12 minutos, Danilo Barcelos foi ao fundo e executou cruzamento na medida para o atacante marcar de cabeça.

O Ceará reagiu e obrigou o Fluminense a se compactar ainda mais. Fora o lance do gol, não houve mais finalização de perigo na etapa inicial. Fred era praticamente um espectador da partida. Luis Henrique, de novo, quase ampliou em posição idêntica a do primeiro gol. O arremate parou no goleiro Fernando Prass. Os visitantes sairam para o intervalo com mais posse de bola (55% a 45%) e o dobro de finalizações (6 a 3).

Falha de Digão

Antes disso, em cobrança de escanteio, a bola desviou em Hudson e entrou no gol de Muriel. Odair Helmann jogou o time para frente, com outro garoto. Optou pela saída de Hudson, e Caio Paulista, 22, entrou pelo lado direito do ataque. Assim, Luiz Henrique foi para a esquerda, e Nenê para o meio. O maior número de jogadores no ataque não gerava superioridade com a presença de Fred, que se movimenta pouco.

Bem posicionado, o Ceará conteve a reação do Fluminense. E passou a criar ainda mais perigo contra uma defesa menos protegida, com Léo Chú. Sem evoluir, o treinador do Fluminense trocou Nenê por Ganso e Luis Henrique por Marcos Paulo para a metade final do segundo tempo. Com a falha de Digão aos 32 minutos, o time não tinha mais força para reagir. Mas achou o empate aos 45 minutos. Após cruzamento de Caio Paulista pela esquerda, Fred cabeceou para o lado, e Danilo Barcelos arrematou.

Fonte: O Globo

 

Click to comment

Deixe uma resposta

To Top
%d blogueiros gostam disto: