Esportes

Após tentar rescisão, Messi anuncia que fica no Barcelona: “Nunca iria à Justiça contra o clube que amo”

Craque confirma que seguirá no clube até o fim de seu contrato, em 2021, depois de divergência jurídica quanto a possível saída sem custos, e faz duras críticas à diretoria

A novela da possível saída de Messi do Barcelona acabou antes e com final diferente do esperado. O craque argentino confirmou nesta sexta-feira que permanecerá no clube catalão, após tentar uma rescisão unilateral ativando uma cláusula de seu contrato, que se encerra em junho de 2021. A decisão foi tomada justamente para evitar uma batalha nos tribunais, em meio a uma divergência jurídica com a diretoria do clube, que exigia pagamento de multa rescisória de 700 milhões de euros (R$ 4,5 bilhões).

O anúncio veio através de uma entrevista para o site “Goal” (veja aqui no vídeo). O craque afirmou que demorou para vir a público pela tristeza pela derrota para o Bayern de Munique, mas que sua decisão não foi tomada depois da goleada por 8 a 2. Messi afirmou que dizia durante toda a temporada para o presidente Josep Maria Bartomeu que gostaria de ir embora.

– Não foi por causa do resultado da Champions contra o Bayern, eu pensava na decisão há muito tempo. Disse ao presidente e, bom, ele sempre disse que ao fim da temporada eu poderia decidir se queria ir ou se ficaria. E, ao fim, não cumpriu sua palavra.

Messi garantiu que jamais pensou em travar uma batalha judicial contra o clube ao qual chegou há 20 anos, ainda criança.

– Eu pensei que estávamos combinados, que eu estava livre, o presidente sempre disse que no fim da temporada eu poderia decidir se ficava ou não. E agora eles se agarram ao fato de que não comuniquei antes de 10 de junho, sendo que em 10 de junho estávamos disputando LaLiga, no meio dessa situação desse vírus de m… e dessa doença que alterou todas as datas. E por esse motivo é que vou ficar no clube.

Messi durante a entrevista em que confirmou permanência no Barça — Foto: Reprodução/Goal.com

– Agora, vou seguir no clube porque o presidente me disse que a única forma de sair era pagar a cláusula de 700 milhões de euros, que isso é impossível e que logo teria outra forma, que era ir à Justiça. Eu nunca iria à Justiça contra o Barça, porque é o clube que amo, que me deu tudo desde que cheguei. É o clube da minha vida, fiz minha vida aqui. O Barça me deu tudo, e eu dei tudo. Jamais me passou pela cabeça levar o Barça a juízo.

O astro afirmou que não vinha se sentindo sozinho, mas que estava triste pelo que vinha ouvindo dos fãs e dos jornalistas, que questionavam seu amor pelo clube. E que foi difícil tomar sua decisão, mas que sentiu que o Barça precisava de mudanças e novos objetivos. Messi deixou clara a sua irritação com a falta de um projeto esportivo, fazendo duras críticas à diretoria.

– Claro que me custou muito decidir. Sempre disse que queria me aposentar aqui e sempre disse que queria ficar. Queria um projeto ganhador, ganhar títulos com o clube para seguir aumentando a lenda do Barcelona a nível de títulos. A verdade é que há tempos que não há projeto nem nada. Vão fazendo malabarismos e tapando buracos à medida que vão acontecendo as coisas.

Messi também destacou que, apesar de ficar no Barcelona contra a sua vontade, dará o seu melhor. E mostrou-se satisfeito pela chegada de um novo técnico: Ronald Koeman.

– Vou continuar no Barça e a minha atitude não vai mudar, por mais que eu tenha desejado sair. Eu farei o meu melhor. Sempre quero ganhar, sou competitivo e não gosto de perder nada. Sempre quero o melhor para o clube, para o vestiário e para mim. Eu disse na época que não dava para ganharmos a Champions League. Na verdade, agora não sei o que vai acontecer. Existe um novo treinador e uma nova ideia. Isso é bom, mas depois temos que ver como a equipe responde e se dará ou não para competir. O que posso dizer é que vou ficar e dar o meu melhor – comentou.

A novela

Messi confirmou permanência no Barcelona nesta sexta-feira — Foto: Reuters

A reviravolta ocorreu nesta semana, depois de Messi não se reapresentar para a pré-temporada da equipe e faltar a todos os treinamentos desde a última segunda. Embora não tenha se manifestado oficialmente sobre o desejo de deixar o Camp Nou, o jogador não cumpriu a agenda – uma vez que desejava a rescisão unilateral.

Na terça-feira, o jogador explicitou aquilo que já era comentado pelos jornalistas: ele enviou um burofax (uma carta com confirmação de recebimento) indicando que desejava deixar o clube acionando uma cláusula de rescisão automática. Esta parte do contrato indicaria que Messi poderia sair sem custos desde que comunicasse a decisão até 10 dias depois do fim da temporada.

E a queda de braço jurídica se deu justamente na divergência quanto à data do fim da temporada, que teve calendário alterado pela longa paralisação causada pela pandemia da Covid-19. A jornada 2019/20 acabou oficialmente somente no dia 23 de agosto (final da Champions) – e esta data é usada por Messi para acionar a cláusula. O Barça entende de forma diferente e alega que a temporada chegou ao fim em 31 de maio, como previsto antes da pandemia, considerando que a cláusula já venceu.

Em meio a essa disputa jurídica, o pai e agente do jogador, Jorge Messi, viajou a Barcelona e se reuniu com o presidente Josep Maria Bartomeu na última quarta-feira. Ele chegou à Espanha indicando que seria difícil a permanência do craque no clube e teria deixado o encontro sem um acordo com a diretoria. Entretanto, horas depois a imprensa espanhola começou a noticiar que a chance do argentino permanecer havia aumentado.

Jorge Messi, pai e agente do craque, chega de carro a escritório de seus advogados em Barcelona — Foto: REUTERS/Nacho Doce

Nesta sexta, o pai do craque argentino enviou uma nota endereçada ao presidente da liga, Javier Tebas, acusando a organização de “óbvia parcialidade” e defendendo o direito do jogador de rescindir com o Barcelona sem custos. Em sua carta, Jorge Messi responde ao comunicado publicado por La Liga na última semana, quando o órgão saiu em defesa do Barcelona e indicou que o contrato de Messi está em vigor, e que uma rescisão só poderia ocorrer mediante pagamento de multa rescisória de 700 milhões de euros (R$ 4,5 bilhões).

O pai de Messi citou na íntegra a cláusula que o jogador pretendia ativar para dar adeus ao Camp Nou: “Esta indenização não será aplicada quando a rescisão do contrato por decisão unilateral do jogador tenha efeito a partir do fim da temporada esportiva 2019/20”.

Horas depois da divulgação da carta, dois dos principais veículos da imprensa esportiva argentina, o canal “Tyc Sports” e o jornal “Olé”, garantiram que Messi havia tomado a decisão de permanecer no clube catalão para evitar uma disputa nos tribunais. Desta forma, o jogador seguirá no Camp Nou por pelo menos mais uma temporada – podendo ampliar seus números, que o fazem ser considerado o maior jogador da história do Barcelona.

Messi tem 731 jogos e 634 gols em 16 temporadas jogadas no clube. Conquistou 34 títulos: quatro da Liga dos Campeões da Europa, três do Mundial de Clubes, 10 do Campeonato Espanhol, seis da Copa do Rei, três da Supercopa da Europa e oito da Supercopa da Espanha. Lá, foi eleito o melhor jogador do mundo por seis vezes.

Fonte: GE

Click to comment

Deixe uma resposta

To Top
%d blogueiros gostam disto: