Campeonato Brasileiro

Cruzeiro vence a Ponte Preta e respira na Série B

A Raposa fez o seu melhor jogo na competição, com todo o time mantendo um bom nível de atuação no duelo contra a Macaca, no Mineirão

A noite de quarta-feira, 30 de setembro, no Mineirão, foi de alívio para o torcedor do Cruzeiro, que voltou a vencer na Série B, ao derrotar a Ponte Preta por 3 a 0, gols de Filipe Machado, em bela cobrança de falta, Arthur Caike, após uma boa trama do ataque celeste, e Manoel, fechando o placar de uma jornada “ligada” e eficaz do time azul.

O time azul esteve em jornada inspirada, com gols bem construídos para chegar à vitória (Foto: Yuri Laurindo/Ofotográfico)
Foto: LANCE!

Os três pontos trouxeram paz para o conturbado ambiente celeste e ainda tirou a equipe da zona do rebaixamento, ocupando a 15ª posição na classificação, com 11 pontos. A Ponte, mesmo com o revés, se manteve no G4, na terceira colocação, com 21 tentos. Foi o maior placar da Raposa na Série B, com os três gols anotados nesta 12ª rodada.

Noite de mais organização tática e boas tramas ofensivas

A Raposa não permitiu que a Ponte Preta jogasse. Com um time ligado, concentrado, foi para cima do time paulista, conseguindo se manter sempre perigoso, criando várias chances de gols, tendo como melhor homem em campo do lado da Macaca, o goleiro Ivan, que fez pelo menos três grandes intervenções.

O Cruzeiro teve o que lhe faltou durante toda a Série B: organização tática bem definida, aproximação do time para triangulações, culminando em uma vitória convincente, que dá esperança para o seu torcedor de uma arrancada na segunda divisão nacional rumo ao G4.

Entradas positivas de Régis e Sassá

O meia Régis e o atacante Sassá começaram como titulares, deixando Maurício e Marcelo Moreno no banco. As mudanças foram sentidas de forma positiva, pois Régis ficou mais atento ao jogo, mantendo uma regularidade na partida, interagindo muito com o ataque.

Já Sassá, teve duas chances de marcar em sua volta. Mas, se o gol não veio, houve um trabalho melhor do jogador com os demais colegas da parte ofensiva, algo que não ocorria com Marcelo Moreno, que pode ser útil em outras partes do jogo.

Presente para Fábio

No dia que o goleiro completou 40 anos, ele recebeu, em seu jogo 898 com a camisa do Cruzeiro, como presente a vitória sobre a Macaca.

Próximos jogos

A Ponte terá pela frente o Juventude, no sábado, 3 de outubro, às 19h, em Campinas. O Cruzeiro, no mesmo dia, encara o Cuiabá, às 22h, horário de Brasília, na capital do Mato Grosso.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 3 x 0 PONTE PRETA

Data-Horário: 30 de setembro, às 19h15

Estádio-Local: Mineirão, Belo Horizonte(MG)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Assistentes:Pedro Jorge Santos de Araújo(AL) e Wagner José da Silva(AL)

Cartões amarelos: João Paulo(PON), Airton(CRU), Wellington Carvalho(PON), Jadsom(CRU)

Cartões vermelhos:-

Gols: Filipe Machado, aos 13′-1ºT(1-0), Arthur Caíke, aos 30′-1ºT(2-0), Manoel, aos 33′-2ºT(3-0)

Cruzeiro: Fábio; Daniel Guedes, Manoel, Ramon e Matheus Pereira; Henrique(Rafael Luiz, aos 38′-2ºT), Filipe Machado(Jadsom, aos 32′-2ºT), Régis; Arthur Caike(Maurício, aos 10′-2ºT), Sassá(Marcelo Moreno, aos 38′-2ºT) e Airton(Caio, aos 10′-2ºT). Técnico: Ney Franco

Ponte Preta: Ivan, Dawhan, Wellington Carvalho(Alisson, aos 27′-1ºT), Luizão e Ernandes(Guilherme Pato, aos 17′-2º); Neto Moura(Danrley, aos 26′-2ºT), Oyama e João Paulo; Luan Dias(Guilherme Lazaroni-intervalo), Bruno Rodrigues e Matheus Peixoto(Moisés-intervalo). Técnico: Brigatti

Fonte: Terra

 

Click to comment

Deixe uma resposta

To Top
%d blogueiros gostam disto: