Mundo

Alemanha detecta caso de Covid-19 ligado a variante brasileira do novo coronavírus

Anúncio foi feito por autoridades regionais do país europeu

Pedestre caminha na Pariser Platz vazia diante dos Portão de Brandenburgo, com Berlim sob medidas restritivas contra a Covid-19, nesta sexta-feira (22) Foto: TOBIAS SCHWARZ / AFP

BERLIM — Autoridades regionais da Alemanha anunciaram nesta sexta-feira que a variante brasileira do novo coronavírus foi identificada no país. No início deste mês, a detecção de uma nova linhagem do Sars-CoV-2 com mutações em japoneses que estiveram no Amazonas acendeu o sinal de alerta no mundo e levou o Reino Unido a proibir a entrada de viajantes com origem no Brasil e outros países latino-americanos, além de Portugal.

A pessoa infectada retornou na última quinta-feira de uma viagem ao Brasil e desembarcou em Frankfurt, o aeroporto mais movimentado da Alemanha, segundo informaram autoridades sanitárias do estado de Hesse, na região central do país europeu. A unidade federativa já havia identificado pacientes que contraíram a variante britânica e sul-africana do coronavírus. De acordo com o ministro regional de Assuntos Sociais, Kai Klose, exames laboratoriais confirmaram o contágio pela nova linhagem.

O indivíduo não apresentou sintomas e foi diagnosticado por meio de um teste molecular RT-PCR, que atestou a linhagem brasileira. Klose pontuou, no entanto, que é necessária uma contraprova ainda pendente, segundo a emissora estatal Deutsche Welle.

O Instituto Robert Koch, agência da Alemanha para o controle e prevenção de doenças, informou que monitora de perto a circulação de variante do Sars-CoV-2 no país. Ainda seguno o Robert Koch, a mutação brasileira é similar à identificada na África do Sul e que uma maior capacidade infecciosa provocada pelas alterações é uma tese “plausível”.

Novas variantes

O planeta acompanha com preocupação o surgimento de mutações potencialmente mais infecciosas do que as demais linhagens do patógeno que já circulam. As variantes surgidas no Reino Unido e na Africa do Sul ganharam manchetes em dezembro e podem estar relacionadas à alta de casos de Covid-19 nestes países, segundo cientistas. O mesmo pode se aplicar à B.1.1.28, detectada no Brasil e com prevalência crescente em Manaus, que vive um colapso no sistema de saúde e registra índices recordistas de infecções e óbitos.

Na última quinta-feira, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças Europeu (ECDC), ligado à União Europeia (UE), afirmou em um comunicado que as mutações do novo coronavírus encontradas no Brasil, Reino Unido e na África do Sul representam um “alto risco” para a Europa em razão de sua maior transmissibilidade em relação às demais linhagens do patógeno.

“Nós estamos observando as situações epidemiológicas se deteriorando em áreas onde as variantes do Sars-CoV-2 se tornaram presentes”, afirmou Andrea Ammon, diretor do ECDC, em um comunicado divulgado na ocasião. “Um número crescente de infecções levarão a um aumento de hospitalizações e taxas de óbitos ao longo de todas as faixas etárias.”

Na avaliação do centro, os países-membros da UE “devem se preparar para uma futura escalada na demanda nos sistemas de saúde”.

Fonte: O Globo

 

Comments
To Top